“Alguns chegam a falar em crise no turismo e não os repreendo, porque a situação é, de fato, grave” - Blog do Noventa
309
post-template-default,single,single-post,postid-309,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

“Alguns chegam a falar em crise no turismo e não os repreendo, porque a situação é, de fato, grave”

O nosso Sergipe está enfrentando uma das piores fases nos mais diversos setores, recebo diversas solicitações para trabalhar a questão turística e é disto que vamos falar. Num país com as qualidades naturais do Brasil, o Turismo é um setor que deve ser tratado com prioridade.
Nas classificações internacionais sobre o tema, nosso país está sempre entre as primeiras colocações no quesito de atratividade natural; e não ficamos muito atrás quanto aos bens de natureza cultural.
É um setor de grande expressividade, que contribui para a geração de empregos e de riqueza. De acordo com o Conselho Mundial de Viagens e Turismo, a participação do setor no produto interno bruto do país, em 2018, chegou a 8,1%, o que corresponde a 153 bilhões de dólares.
Igualmente, a capacidade de gerar empregos — especialmente relevante em regiões pobres e afastadas do país — das atividades vinculadas ao turismo é significativa. Segundo a mesma entidade, o turismo foi responsável, no ano passado, por quase 7 milhões de empregos no Brasil.
É, portanto, com consternação que observamos a situação do turismo em Sergipe. Alguns chegam a falar em crise no turismo e não os repreendo, porque a situação é, de fato, grave.
Somos, senhor Presidente, permanentemente cobrados pelos empresários do segmento. Grandes e pequenos empreendedores estão desesperados com a redução do movimento de turistas no estado. Sem falar nos trabalhadores: muitos perderam o emprego, outros veem a parcela variável de sua remuneração reduzida em função da queda do consumo.
Há alguns indicadores que podemos lançar mão para tentar avaliar e entender o processo. Vejamos primeiramente o desempenho dos hotéis e pousadas sergipanas. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira em Sergipe, a taxa de ocupação média no primeiro semestre de 2019 caiu 12,7% em relação ao ano passado, de 55% para 48%.
Nem mesmo o mês de junho, que tradicionalmente atrai visitantes em razão das festas juninas, foi capaz de amenizar o problema. Em junho de 2019, a taxa de ocupação ficou em 46%, uma queda de 11,5%.
É de ressaltar que o fraco desempenho ocorreu mesmo com uma redução do preço médio de diárias, que passou de R$ 173 para R$ 164 neste ano.
Os dados do Aeroporto de Aracaju corroboram esta análise. Com efeito, de acordo com a Infraero, o número de passageiros cai de modo expressivo desde há 5 anos. Entre 2014 e 2018, o número de passageiros caiu 13,5%. Infelizmente a tendência de baixa continua em 2019.
Os efeitos para o segmento, sobretudo para os trabalhadores e donos de pequenos negócios, são devastadores; e isto acontece num estado com o potencial turístico que tem Sergipe!
Não é razoável, senhor Presidente, que um estado que tem os Cânions do Xingó; a arquitetura e a cultura de Aracaju; as mais belas praias do Brasil; um estado que tem Pacatuba, com suas dunas, praias e lagoas; senhor Presidente, um estado como Sergipe não pode ter um turismo deficiente.
Mas não há segredo: o que falta para fazer deslanchar o turismo no estado é divulgação e estrutura. Ora, se o turista não conhece a Ponta dos Mangues, se não conhece o Xingó, se não conhece a Orla de Atalaia, não viajará a Sergipe.
Por outro lado, é preciso de estrutura para receber os visitantes, melhorar as vias e o transporte rodoviário, baratear as passagens aéreas, investir na manutenção e aprimoramento dos pontos turísticos, tudo com respeito ao meio ambiente, elemento indispensável no moderno turismo internacional.
Portanto, senhor Presidente, quero aqui exortar os gestores de turismo no Brasil, em nível federal, estadual e local a unirem esforços para enfrentar este desafio e criar um novo momento para o turismo sergipano.
Recebo bem, portanto, o lançamento do programa Investe Turismo, do Governo Federal, que aplicará R$ 200 milhões em 158 municípios brasileiros e contemplará municípios de Sergipe.
Cremos que o Governo do estado já compreendeu a gravidade da situação e a necessidade de medidas contundentes para transformar todo o fabuloso ativo natural de Sergipe em benefícios para o povo.
Concluo, senhor Presidente, declarando à população sergipana que nos manteremos vigilantes e atuantes junto ao Governo Federal e ao Governador Belivaldo Chagas para pôr o turismo em Sergipe no patamar que ele pode alcançar.
No Comments

Post A Comment