Licitação do transporte requer urgência - Valdevan Noventa - Blog do Noventa
170
post-template-default,single,single-post,postid-170,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Licitação do transporte requer urgência – Valdevan Noventa

Licitação do transporte requer urgência – Valdevan Noventa

A licitação do transporte público na cidade de São Paulo não pode mais ser postergada pela administração pública.

A frota de ônibus, na casa dos 15 mil veículos, necessita de atualizações estruturais e incrementos tecnológicos, que otimizem o trabalho realizado por seus profissionais.

O Sindicato, neste processo, já disse: não aceita a redução e sucateamento da frota, cujo impacto será negativo tanto na prestação do serviço quanto na manutenção dos companheiros no sistema de transporte urbano.

E reafirma o compromisso de lutar incansavelmente pela manutenção dos postos de trabalho dos cobradores, onde os mais de 19 mil agentes sociais colaboram para o bom atendimento dentro dos ônibus.

A distribuição dos ônibus em linhas, de forma mais equilibrada, é uma alternativa estratégica para evitar os chamados gargalos, que transtornam a vida dos passageiros obrigados a andar como se estivessem em “latas de sardinhas”. Esta questão resolvida tende a acelerar o tempo de viagens entre itinerários.

Investimentos em corredores, faixas exclusivas e terminais para ônibus devem ser considerados neste processo. A construção de mais quilômetros destas importantes vias arteriais para deslocamento do transporte público se faz necessária, é inadiável. A licitação pode avançar neste intento.

No entanto, a atual gestão cortou mais de R$ 130 mi em investimentos no transporte, que avassalou de forma negativa no desenvolvimento desta infra-estrutura específica. Culpado por isso? O impasse na licitação que gera o  chamado “rombo” nos subsídios, segundo a prefeitura.

A atual gestão não pode mais se esquivar do debate, sobretudo de ações efetivas, em torno da melhoria das condições sanitárias, de higiene e ergonômicas dos pontos iniciais, finais e mesmo estruturas em terminais de ônibus pela cidade.

São mais de 1.000 locais, onde a maioria expressiva apresenta problemas graves, vergonhosos, que lesam a qualidade de vida dos usuários. Levantamento exclusivo do Sindicato traz este retrato assustador.

Este cenário exige dos gestores municipais e vereadores elevadas doses de vontade política para dar celeridade ao trâmite que envolve o processo de licitação, que se arrasta por anos.

O transporte público por ônibus de São Paulo é o maior do país. E merece ser tratado de forma correspondente ao seu tamanho e relevância na vida dos paulistanos.

Valdevan Noventa – presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de São Paulo (SINDMOTORISTAS)

No Comments

Post A Comment